[circle top="0" width="186" class="th" right="-110rem" stroke-width="4"]
Verdade

A migração laboral é positiva, tanto para a economia do país de destino como do país de origem dos migrantes

Os migrantes aportam pluralidade, inovação, conhecimento e investimento, contribuindo com o desenvolvimento e o crescimento econômico do país em que estão, tanto quanto sua própria população. Eles ainda contribuem em seus papéis como empregados e empreendedores, criando novas empresas e negócios. Além disso, os migrantes atuam como pontes entre países, intercambiando conhecimentos e habilidades que podem contribuir para todas as comunidades. Isso sem contar a colaboração financeira por meio dos impostos diretos e indiretos que pagam que, por vezes, chega a ser maior que a ajuda pública local que recebem.

De acordo com um estudo do McKinsey Global Institute, em 2015, os migrantes produziram cerca de US$ 6,7 trilhões em todo o mundo, e o volume de dinheiro enviado ao país de origem foi de US$ 580 bilhões, cerca de 10% da produção total. Segundo o Banco Central do Chile, só em 2016, esse número girou em torno de 410 milhões de pesos no País.