Mito

A entrada de migrantes pressupõe o aumento da violência

Não existe comprovação de que a presença dos migrantes resulte em mais crimes do que o que já ocorre envolvendo a população do local. Além de equivocado, xenofóbico e preconceituoso, esse pensamento ainda viola o princípio da presunção de inocência.

No caso da realidade da América do Sul, dados do Ministério da Justiça brasileiro, de dezembro de 2014, demonstram que o número de prisões de pessoas de outras nacionalidades vem caindo nos últimos anos no Brasil (uma proporção de 0,2%, segundo dados de 2015 da Polícia Federal).

Já no Chile, de acordo com o Boletín Estadístico de la Mesa Interinstitucional de Acceso a la Justicia de Migrantes Y Extranjeros, de 2015, os níveis de criminalidade entre migrantes não excedem 1,1% das pessoas que entram nos tribunais ou são presas no País.

Na Argentina, cerca de 5,9% das pessoas detidas nasceram em outros países, de acordo com o documento Sistema Nacional de Estadísticas sobre Ejecución de la Pena (SNEEP) – 2015, divulgado pelo Ministerio de Justicia y Derechos Humanos de la Nación. Entre 2002 e 2016, esse número variou entre 5,2 e 6%.